Castração

CASTRAÇÃO DE CÃES E GATOS

Com a urbanização crescente em todo mundo e em especial no Brasil, a necessidade da criação e inclusão de políticas de manejo das populações de animais domésticos, especialmente cães e gatos, se faz cada vez mais urgente nas cidades (IBGE, 2013 apud CRMV-MG, 2016). Por isso, a sociedade deve reconhecer e incluir em políticas públicas, ações que viabilizem a segurança e o bem-estar dos animais (AMERICAN VETERINARY MEDICAL ASSOCIATION, 2016 apud CRMV-MG, 2016).

Por isso, a diminuição do número de animais abandonados é de grande importância para promover o controle de zoonoses, como a raiva; promover o controle de doenças de espécies específicas; evitar abandono e maus tratos aos animais soltos nas vias públicas; e evitar agressões a seres humanos e acidentes (SAMPAIO et. al., s.d.).

No entanto, de acordo com a Organização Mundial da Saúde – WHO (1990 apud CRMV-MG, 2016), as atividades isoladas de recolhimento e eliminação de cães e gatos não são efetivas para o controle da população. Por isso, é imprescindível que todo programa atue nas principais causas do problema do excesso populacional: a procriação de cães e gatos sem controle e a falta de responsabilidade humana quanto à guarda de seus animais (CRMV-MG, 2016).

Nesse contexto, o controle de natalidade dos animais de estimação, especialmente cães e gatos, é reconhecido como necessário, seja por questões de saúde pública, envolvidas no contexto da convivência humana, seja por questões de bem-estar animal. Uma das formas mais eficazes de reduzir o abandono e garantir uma vida digna aos animais é conter o crescimento das populações por meio da castração sistemática (SAMPAIO et. al., s.d.). A castração se apresenta, portanto, como uma alternativa eficaz no controle populacional de cães e gatos, pois colabora com a redução da natalidade sem agredir os direitos e bem-estar dos animais, conforme descrito por Buquera (et. al., s.d.).

Atualmente, o serviço de esterilização cirúrgica de cães e gatos é realizado pela Secretaria de Saúde (SEMUS/CVSA), visando o atendimento prioritário em áreas consideradas de risco do ponto de vista de saúde pública, na qual a castração e a orientação sobre a guarda responsável aos tutores de animais se constituem como ferramentas importantes para o controle de zoonoses e agravos relacionados. Para ter acesso ao serviço, se faz necessário o registro da solicitação por meio do Fala Vitória 156.

Além disso, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMAM) realizará um Mutirão de 5.000 (cinco mil) Castrações a partir do segundo semestre de 2019, objetivando facilitar o acesso da população ao serviço de castração, especialmente os tutores de baixa renda; reduzir a quantidade de animais abandonados ou semidomiciliados em vias públicas; e reduzir os índices de maus tratos aos animais domésticos, caracterizando-se como uma ferramenta voltada à promoção do bem-estar animal no município de Vitória.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BUQUERA, L. E.; COSTEIRA, J. A.; FERREIRA, R. L.; BASTOS, R. M. Controle Populacional de Cães e Gatos por Meio de Esterilização Cirúrgica e Educação para Posse Responsável. Centro de Ciências Agrárias. PROBEX. Paraíba, s.d.

CRMV-MG. Introdução à Medicina Veterinária do Coletivo. ISSN 1676-6024. N° 83. Belo Horizonte, 2016.

SAMPAIO, G. R. Controle Populacional de Caninos e Felinos por meio da Esterilização Cirúrgica. Projeto de Extensão. Departamento de Medicina Veterinária. Universidade Federal de Lavras. Lavras, s.d.